HomeIndústriaCarne Suína

Produção Industrial de Carne Suína

Problemas durante a criação

Sujeira do local.

Alto número de animais juntos e ventilação insuficiente, que pode ocasionar doenças respiratórias.

Doenças no trato digestivo e urinário decorrentes da alimentação insuficiente.

Possibilidade de epidemias e pandemias, tais como gripe suína e febre aftosa.

Manejo violento com cortes de dentes, caudas e orelhas e morte agonizante.

Distúrbios comportamentais provenientes de ambientes frustrantes, por exemplo, quando o animal morde a cauda ou orelha de outros, causando lesões e até mesmo a morte.

Estresse térmico: a seleção genética tornou os suínos mais sensíveis ao calor e aos raios solares.

Saúde mental: nada de interessante para fazer na fazenda. Porcos são curiosos.

Como é a criação

A maioria dos porcos são criados em grandes fazendas.

As etapas da criação são: reprodução, gestação, maternidade, engorda e abate.

Há fazendas que realizam todas etapas no mesmo local, e outras em que são em locais distintos, o que faz com que seja necessário o transporte dos porcos.

A produção de carne suína consome cerca de 5990 litros de água/ kg carne.

FONTE: Water Footprint Network

A duração das Fases

GESTAÇÃO

celas

 As fêmeas usadas para reprodução são mantidas em celas individuais nesta fase. Uma opção menos cruel é a gestação em baias em grupo.

A gestação dura cerca de 114 dias (cerca de 16 semanas).

As celas são individuais, feitas de metal e geralmente tem piso feito de grades.

As áreas de gestação podem ter duas zonas: uma de cobertura, em que as porcas são inseminadas, geralmente de forma artificial e outra em que as porcas grávidas passam a gestação até cerca de 2 a 5 dias antes de dar à luz.

O sêmen geralmente é comprado de empresas de genética suína, que mantêm machos selecionados para obter seu sêmen.

AS CELAS DE GESTAÇÃO

A pig in a newly built industrial farm. Taiwan, 2019.

São individuais, estreitas e pouco maiores que os próprios animais.

As porcas são privadas de qualquer exercício. Quase não podem se mover.

Elas não podem virar-se e é difícil até mesmo mudar de posição de deitada para de pé.

A falta de espaço é prejudicial para os seus músculos, articulações, ossos e para a saúde em geral.

Podem sofrer de doenças como claudicação (manqueira), problemas cardiovasculares, entre outros.

Lesões resultantes do contato da pele com a celas apertadas são frequentes.

São privadas de contato social, o que pode causar tédio extremo e aflição significativa.

Apesar de ainda serem comuns no mundo, a utilização já é restrita na União Européia (até 28 dias após cobertura) desde 2013 e já foi banida na Nova Zelândia, Suíça, Noruega.

As celas de gestação foram proibidas pelos países membros da União Europeia (desde 2013), Nova Zelândia (desde 2015 pela indústria) Reino Unido, Suíça, Noruega, Finlândia, Suécia e 8 países norteamericanos (Califórnia, Oregon)

Associações de produtores da África do Sul e Austrália (desde 2017) se comprometeram a abandoná-las.

Canadá só pode investir em novas instalações coletivas.

AS BAIAS COLETIVAS

5c62d23e-b5be-4e57-b0a3-19f6dd4beb64

Em grupos não sofrem tanto de tédio e falta de interação.

Podem se mover um pouco mais.

Ainda há sofrimento e frustração.

Ambiente lotado e desestimulante.

Poucas atividades naturais.

Condições anti-higiênicas.

Brigas entre porcas são comuns, normalmente por disputa por recursos, como comida e espaço.

Animais podem ser feridos, sofrer de estresse e ainda não obter a alimentação adequada, resultando em fome.

Maternidade

Industrial pig farming. Italy, 2015.

Antes de dar à luz, as porcas são movidas das celas de gestação para as celas de parto, onde há um espaço para os leitões.

Na mudança de celas, geralmente é utilizada violência.

Nas celas de parto as porcas podem acidentalmente esmagar seus leitões.

Para prevenir isso, as celas são projetadas para que as porcas não possam se mover ou virar. Apesar disso, o esmagamento ainda é a principal causa de morte dos leitões.

O piso é feito de grades, com exceção da área dos leitões.

Os leitões vivem nessa área até que sejam desmamados, o  que ocorre em torno de 21 e 25 dias. Depois são encaminhados para a engorda.

Normalmente os leitões passariam vários meses com suas mães.

REPRODUÇÃO

Após a amamentação, as porcas são movidas para a área de reprodução, onde são inseminadas novamente.

As porcas podem dar à luz mais do que duas vezes em um ano.

Esse ciclo só termina quando são enviadas para o abatedouro, o que ocorre quando elas estão em torno dos três anos de idade.

Em uma vida natural, elas poderiam atingir a idade de 15 ou mais anos. A expectativa de vida é similar às de cães.

ENGORDA

pig-density-in-fattening-pens_141994

Nessa área que os leitões desmamados ganham peso antes de serem levados para a área de abate.

A grande maioria desses animais vivem em galpões, sem acesso à área externa.

Alguns ficam em um recinto de concreto e uma minoria tem acesso à palha.

Eles finalmente são mortos quando estão com menos de quatro meses de idade, caso sejam destinados à produção de carne de leitão, ou quando estão em torno dos sete meses, quando são destinados para a produção de carne de porco padrão.

Compromissos

Diversas empresas alimentícias que utilizam ingredientes de origem animal, como ovos e carne suína, firmaram compromissos públicos am adotar melhorias de bem-estar animal na sua cadeia de produção. Veja que compromissos são esses.

Galinhas Poedeiras
Suínos